sábado, 17 de janeiro de 2009



Esse grandão aí é o José Rivelino, mais conhecido como Riva, trabalhador, aliás, workaholic(?), doente por trabalho. Hoje em dia trabalha de segunda a segunda, mesmo. É teimoso, turrão, de poucas palavras...mas ao mesmo tempo , amoroso, carinhoso, sexy e otras cositas más...

De difícil convivência, às vezes tenho vontade de mandar tudo para aquele lugar, literalmente!

Mas logo depois descubro um motivozinhno para tentar mais uma vez...

Comidinha na mão, roupinha dobrada...são os genes cearenses dominando, e os meus de abestalhada também, como se eu já não tivesse bastante serviço em casa, na escola, no cursinho, na academia, acompanhando os meninos...

Mais um filho para cuidar, sem ressalvas, com apenas uma vantagem... na quebrada da madrugada...ele consegue me levar a lugares maravilhosos, nunca dantes navegados...

Amo você, seu chato!!!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Viagem


Hoje tive tempo de ficar só como há muito não tinha...

Foi horrível! Ninguém para abrir a porta do banheiro(no momento de maior concentração), ninguém para pedir o último pedaço de bife do prato, ninguém para te chamar e perguntar: Tava dormindo?

Hoje percebi a distância que eles se encontram de mim, o tempo que vão ficar longe, as coisas que vão fazer e que eu estarei perto para vigiar e sorrir...

Ano passado não tive essa noção de espaço e tempo, fiquei apalermada, deixando que eles fossem e sorrindo do choro de despedida. Esse ano, quem chorou fui eu...bateu uma dor, um vazio, uma sensação de solidão e impotência terríveis e eu não sabia o que fazer com elas.

Quando saí do aeroporto, chorei de soluçar e fiquei me perguntando, será que esse direito existe mesmo??

Agora conto as horas para o retorno , ano que vem, vou inventar uma desculpa e deixar a porta do banheiro aberta as férias inteiras, só nós...saudade...solidão...