terça-feira, 6 de agosto de 2013

Tatuagens

Eu tenho algumas tatuagens.
Uma de henna
Velha, bolorenta, mofada,
Bonita mas falsa.
Essa eu tenho que esquecer.
Uma verde
daquelas de prisão,
contorno borrado, desenho indefinido,
deixou marcas maiores
do que sua real importância.
Essa eu tenho que apagar.
Uma de university, azul,
americana, mineira, sei lá
linda,
dolorida igual a um teste de fraternidade.
Essa eu adoro.
Uma feita a fogo,
de dragão, vermelha,
com cheiro de livro novo,
viciante,
livro velho,
com ácaro, mas deliciosamente conhecido,
pura paixão,
desejo.
Essa eu amo.
Uma de caveira, risonha
amorosa,carinhosa,
belíssima e saudosa.
Essa eu guardo.
Uma feita rápido
sem dor
com gosto de beijo
que virou mão.
Essa eu conservo.
Uma feita de batom,
bastou passar a mão para tirar,
nem sujo deixou.
Essa, hein?
Uma feita de vento, frio, velocidade,
familiar e arteira.
Essa eu tenho.
Uma feito bracelete,
devolveu-me a existência,
negra e simples,
contaminadora.
Essa eu agradeço.
Uma de desejo intenso,
modernice,
quase cor-de-rosa,
vanguardista,
virou um confessionário.
Essa eu quero.
E outras que foram ao vento,
foram embora com o  tempo,
às vezes verdades,
às vezes mentiras.
Mas sempre a que permanece,
foi a que fiz,
minha,
totalmente egoísta,
butterfly,
transformadora, fênix,
única, biológica
sem detalhes
apenas eu.



Um comentário:

Regina Saavedra disse...

Adorei. Que ideia genial. No início não percebi a associação. Depois ficou tudo claro. Bj