sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Poemeto nº 18

Vazio, cria infinito
Li isso em algum lugar
Há que ter espaços vazios para que
A criação aconteça
Então ser um conjunto vazio
Não é demérito
É graça
E até dizendo besteira
Ele consegue me fazer crescer
Sei que não sou vazia
Sei que não sou nada
Sei também que o nada dói
Então existe
E a cada preenchimento deixo de ser vazia
Ou não
Ou a vã filosofia
Explica ao contrário
Como começar um jogo de xadrez pela queda do rei?
Como diria um matemático antigo
Ser vazio é o que há entre o oito e o nove
 então não há vazio
a álgebra explica
se matematicamente não há prova
emocionalmente pior ainda
o vazio é feito para ser preenchido
é quase erótico
uma cavidade sempre pronta
um ser sempre pronto a receber
a amar
sem mágoa ou ressentimento
ser vazio é isso
poder caber
poder doar espaço
poder acolher
é isso
existir sem ferir
viver sem ocupar
ser nada e suportar
o peso do mundo sem chorar
é isso
ser vazio
empty
niente
nothing
nada
ser apenas.

Nenhum comentário: