sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Poemeto nº 28

Nada faz sentido
Nada faz libido
Nada é sempre nada
Nada foi sempre tudo
Aliás, nada sempre foi nossa palavra
Nunca pude deixar de querer
Nunca pude deixar de sonhar
Nunca pude deixar de te amar
Nunca será sempre nunca
Aliás, nunca sempre foi
Sempre foi armado
Sempre foi amado
Sempre foi protegido
Sempre foi querido
Sempre foi espremido
Tempo surgido
Tempo esquecido
Tempo passado
Tempo magoado
Tempo, tempo
Nada foi sempre
Nunca foi nada
Tempo sem tempo
Sonho afogado
Sonho afundado
Sonho ardido
Sonho sofrido
Sonho mais nada
Sonho mais nunca
Sonho sempre
Sonho sempre dispensado
Sonho sempre sonhado
Sonho nunca realizado
Sonho nada feito
Sonho nunca amado
Sonho com um tempo
Um tempo amado
Um tempo onde o sempre será nunca nada.


Nenhum comentário: