quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A lente objetiva e o copo de leite

E deu-se o conhecimento
Lento como esperado
e foguento como devido.
A lente de vários milímetros
O leite de vários matizes
Com função de ler e olhar
a lente era espetacular
Como função de nutrir e amar
O leite era sem par
Estranha combinação
Um vê, guarda
Outro nutre, dá
Mas como explicar
Coisas já prontas?
Daquelas que vem assim
Sem onda fazer
Sem mau causar
Então...aproveitar!
A lente que tudo vê
Deve aprender a nutrir.
O copo que tudo dá
Deve aprender a sonhar.
Sem molhar a lente.
Sem azedar o leite.
Somente manipulando os zoons.
Somente adoçando as bocas.
Abrindo o diafragma...
Deixando tudo branco...
Captar e mover...
Saciar e ir...
Só.

Nenhum comentário: