quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Poemeto nº 31

Ah...anjo...
Não te deixo
Não me deixas
Não somos
Nem seremos
Mas fomos
Por breves instantes
Perfeitos
Unidos
Suados
Bicolores
Odores
Amores

Ah... anjo...
Cai do céu
Aparece
Voa novamente
Pousa aqui
Dentro desse peito
Que nunca te esqueceu
Ri
Sorri
e me desmonta
Me joga de cá prá lá
Me chama de branca

Ah...anjo...
Esqueço não
Queria mesmo olvidar
O entender
O encontrar
Mesmo sem querer
Mesmo sem contar

Ah...anjo...
Bate asas pro noroeste
Boreste, leste
Algo assim
Mas pousa por aqui
De verdade
Aí, olvido...e volto a sonhar

Um comentário:

Valdeni Chaves disse...

Que poema lindo. Vc realmente é sensacional.