domingo, 6 de setembro de 2015

Frase parida ontem

Não sigo regras, sigo minha consciência.

domingo, 17 de maio de 2015

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Poemeto n°36

Não preciso
Não quero
Muito bem
Também não preciso
Também não quero
Nunca precisei
Nunca quis
Nada além do dito normal
Nada além do sublimado
E voltam as palavras
Nada
Nunca
Acrescidas de uma nova
O não
Que de forma definitiva
E cruel
Joga gelo nesse velho terreno
O deixa novamente árido
Seco e murcho
Aliás
E essa também é nova
A aridez não assusta
Ao contrário
Fortalece mais
Ensina mais
O que é dantesco
E inesperado é
Como uma criatura
Feita de amor
Só aprende com a rudeza?
E assim coleciona mais um calo
Mais uma cicatriz
Pela simples razão
De amar desmedidamente
De amar sem olhar
De amar sem escolher
De simplesmente amar sem medo
Agora colhe a infrutífera contenda
Jogou semente em solo
Que nunca foi adubado
Nem remexido
Nem plantado
Em solo que nunca produziu
Sentimento nem fruto
Solo árido, duro
A sorte é que as sementes jogadas
Por força da inerente e também cruel natureza
Germinarão
A qualquer custo
Sem a mínima dúvida
Sem dar a menor importância a opinião do solo
Sem teorias ou defesas
Simplesmente brotarão
Frutificarão e novamente cairão
Porque esse é o ciclo da vida
Inexorável
Talvez o solo seco demore
Talvez precise de mais tempo
Talvez precise de mais água
Talvez essa água seja salgada
Chorosa
Talvez o solo nunca veja esses frutos
Talvez não perceba a riqueza que possui
Talvez não saiba o poder inerente a ele
Talvez
Não
Nunca
Repetem-se os vocábulos
Repetem-se as ações
Mas os resultados advindos
Talvez mudem
Ou não despertem o esperado
Ou nunca se veja o intento frutificado
De ver finalmente
Esse solo amado

domingo, 3 de maio de 2015

Poemeto n°35

Entre almas e lençóis
Coisas podem ser ditas
Almas são transparentes
Lençóis são confidentes
Dores na alma
Lençóis que as acolhem
E enxugam
Cores da alma
Lençóis que as desbotam
Que as escolhem
A alma pode ser lavada
Assim como os lençóis
Deve ser molhada
Com lágrimas de tristeza
Ou alegria
Deve ser ensaboada
Com sabões diversos
Suaves, cheirosos
Ou aqueles feitos de soda
Que branqueiam à força
Como os lençóis, precisam das mãos
Para esfregá-las e torcê-las
Mãos essas que quase nunca são as suas
As almas devem ser quaradas
Estendidas cheias de sabão
Ao sol
Para que o calor desse
Dizime as últimas manchas
De dor
Ou amor
Quando o lençol endurece ao sol
Então pode ser novamente lavado
Já pronto
E limpo
Livre de nódoas e cracas
Assim também com a alma
Molha
Ensaboa
Quara
Enxágua
Depois fica ao sabor do vento
Balançando
E espalhando aquele cheiro gostoso
A alma lavada exala esse mesmo cheiro
Bom de ficar perto
Bom de sentir
E desse tanto
Ela fica novamente pronta para a vida
Porque assim como os lençóis
Vai novamente receber as águas salgadas do corpo
E da vida
De novo

terça-feira, 28 de abril de 2015

Novela/Comédia sobre uma turma de amigos

I
MAIORES DE TRINTA...A SAGA
QUEM SÃO?
O QUE COMEM?
ONDE DANÇAM?
PQ INVADEM FESTAS DE FLASH BACK?
DE QUEM É A CULPA?
E, FINALMENTE...CADÊ O PROMOTER DELES?
...AMANHÃ...UM NOVO CAPÍTULO DE "O DIREITO DE DANÇAR"
A NOVA NOVELA DA TURMA DOS PASSINHOS

II
MAIORES DE TRINTA...APRESENTA:
O DIREITO DE DANÇAR
( argumento Raul la Fuente)
NO CAPÍTULO ANTERIOR TENTAMOS DESCOBRIR A ORIGEM DA ANGÚSTIA DESSA TURMA SAUDOSISTA...
CAPÍTULO II
Em tempos carnavalescos, urge a necessidade de acompanhar a turba ensandecida e gritante das ruas...
A Turma dos passinhos então lança seu samba enredo!
"AGONIA INFINDA DA TURMA DANÇANTE NAS TERRAS DO DISCO NIGHT"
Ouve-se na concentração...
"Olha aí a Unidos dos Passinhos Recolhidos, geeenteee!!!"
A voz que embala o grande Bloco de 22 pessoas ecoaaaaa
As fantasias variam de lantejoulas a perucas black...calças boca de sino e sandálias com meia, tudo entremeado de dourados e cores esdrúxulas.
O puxador começa aos som dos bandolins, pandeiros e cuícas, bumbos a todo vapor.
"Olha aí a Unidos dos Passinhos Recolhidos, geeenteee!!!"
"Nossa alegria atravessou o tempo
e ancorou numa esparrela
nos deixou num abandono estafante
o produtor da nossa festa...
Será....
que nós conseguiremos nessa década?
Voltar....
A nos encontrar e farrear?
Viemos descendo as asas
a busca e a procura 
de flashs para dançar
mas nosso promoter
só quer saber de viajar...
Levamos nosso vinil pra mãe de santo rezar
pelo fim das férias longas 
faremos um patuá
Levaremos!..."
."
( plágio da melodia e versão da letra de É hoje de Caetano Veloso)
AMANHÃ TERCEIRO CAPÍTULO DA NOVELA
O DIREITO DE DANÇAR
(inspirado no filme O destino de Júpiter)

III
MAIORES DE 30... APRESENTA
O DIREITO DE DANÇAR
No capítulo anterior, a Turma dos Passinhos buscou por seu promoter em toda a galáxia...sem sucesso...
CAPÍTULO IV
Exaustos da viagem por galáxias distantes, eles se reúnem na rua.
Mesmo sem alguém que promova seus encontros, a Turma não perde a esperança, nada abalaria aquela força dançante!
Foi então que uma notícia inesperada chegou aos seus ouvidos...
FLASH BACK no próximo fim de semana!!!!!
Era tudo o que precisavam saber...a sanha assassina e sanguinária do promoter viajante não conseguiria abatê-los!
Sobreviveriam às piores intempéries!
Aos piores pesadelos!
E juntos...continuariam a dançar!
Não se importando aonde, nem com quem!
O que importava era o dois prá lá, dois pra cá, em uníssono, aliás, em passíssimo!
O desprezo Dele não os abalaria, JAMAIS!!!
(MÚSICA DRAMÁTICA AO FUNDO)
Nada ainda estava perdido e juntos entoaram o hino do ano passado...Happy, agora sim, em uníssono!
AGUARDEM O QUARTO CAPÍTULO...Inspirado em Daft Punk!
Haveria ainda o dia da vingança...iáiáiáiáiá (risada de bruxa, pra ficar um pouco mais tenebroso)

IV
MAIORES DE TRINTA...APRESENTA
O DIREITO DE DANÇAR
No último capítulo a Turma capitulou e decidiu invadir a festa de outrem...
CAPÍTULO V
Nas sendas do Disco Night , já desesperançosos de que o promoter viajante apareça, planejam um ataque...quase terrorista...
Combinaram o hora, o local e forma em busca de espaço para dançar!
Onde estaria ele? Que nem curtiu nenhum capítulo????
Mistério da natureza...
Ou da Gol
Ou TAM
Impossível saber
Não o vemos nem mais em selfies!!
Enquanto o retorno de Jedi não acontece, a turma vai à ação
METRO DA GALERIA(pq é mais chique rsrs), 20:00, EM DIREÇÃO À TAGUATINGA!
ENJOY PEOPLE!!!
NO PRÓXIMO CAPÍTULO, COMEÇAREMOS A ESMIUÇAR A VIDA DE CADA UM DA TURMA:
QUEM É?
COMO SE SENTE?
O QUE FAZ ALÉM DE DANÇAR???
V
MAIORES DE TRINTA...APRESENTA
O CAPÍTULO FINAL DE O DIREITO DE DANÇAR
(inspirado no Retorno de Jedi)
O Flash Back Galático, sob a supervisão militar do impiedoso Fructos Vader, começou a construção de uma segunda pista de dança, visando arrebanhar a pista do Disco Night.... a Turma dos Passinhos dá início a um ataque em grande escala à nova pista de dança e a invade sequenciadamente.
Neste meio tempo Marquinhos Skywalker, um promoter rebelde , luta para resgatar o espaço conquistado por Vader...
A revolução terá um fim?
Conseguirá a Turma dos Passinhos reconquistar seu planeta?
Só o tempo dirá...
THE END


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Poemeto n°34

Insônia terrível
Motivo insano
Algo incrível
Nenhum sono

Após o deleite
Ainda bamba
Confesso sem enfeite
Que o coração samba

Cola que enrola
Cola que baba
Daquelas completas
De não falar nada

Tremor conhecido
Delírio vivido
De um ser temido
De um ser esquecido

A trama continua
Ainda bem que sim
Por culpa sua
Que me abandona assim

Queria seu ego
Queria sua boca
Mas o ego eu entrego
E a boca fica oca

Desejo infindo
Desejo contido
A arma tinindo
Sem porém dar um tiro

Qual será o final
Dessa contenda arrastada
Que de dúbia e emocional
Acaba com a balaustrada

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Poemeto n°33

Outro corpo
Outra boca
Outras coisas
Cheiro impregnado
Coração partido
Dor que volta
Dor que renasce
Dor maldita e bendita
Maldita por doer
Bendita por ensinar
A ter outro olhar
A ter outro pesar
A anestesiar
E fincar no peito
Uma espada nova
Quem sabe agora
A dor maldita cura
E a dor bendita sara?