quarta-feira, 8 de abril de 2015

Poemeto n°33

Outro corpo
Outra boca
Outras coisas
Cheiro impregnado
Coração partido
Dor que volta
Dor que renasce
Dor maldita e bendita
Maldita por doer
Bendita por ensinar
A ter outro olhar
A ter outro pesar
A anestesiar
E fincar no peito
Uma espada nova
Quem sabe agora
A dor maldita cura
E a dor bendita sara?

Nenhum comentário: